destempos, escolhas e n motivos

[você pode ser esse texto ouvindo Georgia – Vance Joy]

Éramos só duas pessoas que acabaram de se conhecer, nada mais que isso. Uma boa reação sua logo na minha primeira mensagem foi tão confortante pra mim.  Há tempos não sentia nada parecido. E essa sensação foi aumentando à medida que os dias iam passando e outras mensagens iam sendo trocadas.

Eu sempre prezei por fazer as coisas de um jeito leve, nada forçado, de modo que fossem acontecendo naturalmente. Exatamente como foi conosco. Eu só não esperava que fosse tão leve a ponto de eu nem perceber. E eu negava toda vez que parte de mim considerasse me alertar sobre o que estava acontecendo.

Me ceguei tanto que não vi as coisas acontecendo, tampouco os desvios no meio do caminho. Chegamos ao fim dele. Você vai pra esquerda. Eu só sei que ficar parado não da e voltar não é opção. Talvez a direita me sirva por hora e, quem sabe, os caminhos se cruzem novamente mais adiante.

Talvez  pudéssem continuar andando juntos, talvez não faltasse vontade, talvez. Mas entre tantos “talvez” só resta a certeza de que os nossos tempos são diferentes. Destempos.

“Sacrifício é quando você escolhe o que quer perder. Perda é quando a escolha é feita por você”. Nós somos péssimos em tomar decisões, sabemos.

Nós podíamos ser tudo que quiséssemos e decidimos não sermos nada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s